Explore os conteúdos

Na continuação dos artigos anteriores, em que falámos das Vantagens da Delegação e dos Bloqueios à Delegação, vamos agora abordar as várias Etapas Constituintes do Processo de Delegação

O processo de delegação é complexo e deve ser feito de modo cuidadoso, criterioso e seguindo:

As 5 Etapas do Processo de Delegação:

  1. Selecionar as tarefas a delegar.
  2. Escolher o delegado.
  3. Ensinar a tarefa.
  4. Controlar a tarefa delegada.
  5. Avaliar os resultados

Para selecionar as tarefas o gestor tem que fazer algumas perguntas a si próprio:

  • Das tarefas que estou a fazer quais as que precisam de ser feitas?
  • Das que devem ser feitas e que normalmente faço, quais as que posso delegar?
  • Estou psicologicamente preparado para delegá-las desde já?
  • Tenho algum colaborador subaproveitado e disposto a agarrar esse desafio?

As tarefas a delegar não se podem dissociar dos delegados, ou seja, só se devem delegar tarefas a quem pode desenvolvê-las com relativa autonomia. É responsabilidade do gestor definir de modo claro e realista os objetivos da tarefa, disponibilizar os recursos, estabelecer prioridades, estimar o tempo necessário e estabelecer pontos de controlo.

Das 5 Etapas da Delegação as que considero mais difíceis de pôr em prática são o Ensinar a tarefa e o Controlar a tarefa delegada. Ensinar implica tempo e gosto em transmitir saber. Controlar implica um acompanhamento e supervisão do trabalho que está a ser desenvolvido. Muitas vezes o gestor esquece por completo o Controlo e esta é a maior falha da delegação! Delegar não é esquecer.

Delegar é ensinar, acompanhar, controlar. 

“Se quer ter uma equipa comprometida com a empresa saiba escolher as pessoas certas e coloque-as nas posições adequadas às suas capacidades (…)“Jim Collins